Efisica

Indicando posição no cotidiano

 

1. Indicando os espaços nas rodovias

O marco dos quilômetros numa rodovia é o melhor exemplo, no cotidiano, da indicação dos espaços (coordenadas) ao longo da trajetória. A trajetória é o leito da rodovia.

Toma-se um ponto como origem dos espaços. No caso das rodovias paulistas, o marco zero é a Praça da Sé. A partir desse ponto de origem, indicamos as distâncias em quilômetros. Introduzimos um marco de quilometragem a cada quilômetro. Nele indicamos a distância até a origem (Praça da Sé).

Nas estradas federais convencionou-se, há algum tempo, que o marco zero se localiza (num dos sentidos) na divisa dos Estados.
 
marco dos quilômetros


2. Mapa rodoviàrio guia da cidade

Uma forma de especificar a posição é aquela utilizada nos mapas rodoviários e guias indicativos de ruas.

Quando, ao consultar o índice, você descobre que uma cidade se encontra na página 57, nas coordenadas 15K, o que você faz? Primeiro, abre a página 57 e, em seguida, localiza os dois eixos. Num dos eixos você vê uma numeração de 0 a, digamos, 25. No outro eixo, letras de A até Z. Para localizar 15K, você procede de uma maneira análoga ao uso das coordenadas cartesianas, definidas adiante. O nº 15 e a letra K são as coordenadas neste exemplo.

folha do guia


3. Posição, latitude e longitude

Pode-se especificar a posição de um navio no oceano, ou qualquer outro ponto na superfície terrestre, a partir do conhecimento de dois ângulos, ângulo de latitude e ângulo de longitude .

Para a determinação do ângulo de longitude (), adota-se o meridiano de Greenwich como referência. Ele varia, portanto, entre 0 e 180º a leste (L) ou oeste (O) desse meridiano.

A determinação do ângulo de latitude () é feita adotando-se a linha do Equador como referência. A latitude varia, portanto, entre 0 e 90º ao sul ou ao norte do Equador.


4. posicionamento hoje, o GPS

O uso de satélites artificiais propiciou uma nova ferramenta nos estudos geodésicos (relativo à partição da Terra). Sobretudo ganhou-se, e muito, na precisão (< 1m) da determinação da posição dos objetos na superfície terrestre.

O sistema mais sofisticado que se propõe a determinar a posição e velocidade de um objeto na superfície terrestre ou próximo dela, com grande precisão, é o GPS (Global Positioning System).

Em sua estrutura final, o sistema irá contar com uma constelação de 21 satélites (mais 3 reservas) distribuídos em 6 órbitas distintas. Com esta configuração, em qualquer ponto sobre a superfície da Terra ou próximo a ela, haverá um mínimo de quatro satélites acima do horizonte 24 horas por dia. Os satélites ficam a uma altura aproximada de 20.000km, têm um período (duração de uma volta ao redor da Terra) de 12 horas (siderais) e uma inclinação da órbita em relação ao plano do Equador de 55º.


 

satelites

clique na figura para
ver uma simulação


 

Mecânica (Básico)

Seção 6 : Localização ou Posicionamento

  1. Introdução
  2. Posição, o que é?
  3. Indicando posição no cotidiano
  4. Coordenadas Cartesianas
  5. Extensão para 2 e 3 dimensões
  6. Coordenadas Polares
  7. Exercícios Propostos

Seção anterior | próxima Seção

Sobre esta Página

Autores:

  • Gil da Costa Marques
  • Nobuko Ueta

Modificado: 2007-05-23

Tags

Recursos Relacionados

Contato

© 2007 - Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada. Todos os direitos reservados