Efisica

Introdução e Construindo Tabelas

 

 

Introdução

A observação de um determinado fenômeno físico acompanhado de um conjunto de medições leva a um conjunto de dados sobre ele. Em geral, numa pesquisa experimental, esses dados são acumulados em tabelas ou armazenados na memória de um computador.

Fazer um gráfico utilizando esses dados é uma providência muito simples e, na maioria das vezes, muito ajuda a elucidar a natureza e a compreensão dos fenômenos físicos.

 

Construindo Tabelas

 

Uma forma de organizar a tomada de dados é anotar as medidas obtidas em tabelas. De preferência use um caderno. Não use folhas avulsas ou pequenos pedaços de papel, que podem ser facilmente perdidos ou até descartados por engano. Não se esqueça de anotar como é o arranjo, as condições importantes e observações que vocês julguem ser de alguma utilidade.

Numa tabela, não se esqueça de:

  • Colocar um título;
  • Se forem várias tabelas, colocar números e títulos;
  • Identificar a que parâmetro se refere uma coluna;
  • Da unidade da medida;
  • Anotar as precisões das medidas.

Por exemplo, vamos supor que queremos estabelecer alguma relação entre pesos e alturas de alunos. As anotações devem ser feitas, nesse caso, como mostramos a seguir:

Dados obtidos de pesos e alturas dos alunos da 1ª série B diurno.

Foram utilizadas uma balança comum que pesa até 90 kg e uma trena fixada na parede com comprimento de 2 m, como mostra a figura:

medir altura e peso de pessoas para criar uma tabela

Tabela 1 - Pesos e alturas: meninos:
Tabela 2 - Pesos e alturas: meninas:
   
  Peso (N)
Altura (cm)
560
160
680
170
860
173
760
175
700
168
780
170
520
159
850
180
570
161
820
160
610
154
630
165
680
163
650
170
590
165
Peso (N)
Altura (cm)
520

154

530
160
540
163
570
160
600
170
480
152
640
167
500
158
580
156
490
151
510
157
580
165
550
160
600
162
550
158

Um gráfico pode mostrar visualmente uma correlação, desde que sejam utilizadas escalas adequadas.

O gráfico deve mostrar, em cada eixo, a escala utilizada e a grandeza representada. Deve ter também, assim como as tabelas, um número e um título.

Notem que não foi escolhida uma escala que represente zero de altura nem zero de peso. Se fizermos isso, todos os dados ficarão comprimidos numa região muito pequena do gráfico.

Também não escolhemos uma escala tal que os pontos experimentais fiquem espalhados em todo o papel, pois não seria possível ver correlações.

A escolha da escala deve levar em consideração:

  1. A facilidade de usar as divisões do papel milimetrado;
  2. O que se quer mostrar com os dados obtidos;
  3. O desvio experimental das medidas.

Não use escalas que você precisa fazer muitas contas para conseguir achar onde fica um ponto.

Uma outra representação gráfica, muito utilizada para mostrar características médias de uma amostragem, é o histograma.

 

 

 

Mecânica (Básico)

Seção 2 : Tabelas e Gráficos

  1. Introdução e Construindo Tabelas
  2. Construindo Histogramas
  3. Exercícios Propostos

Seção anterior | próxima Seção

Sobre esta Página

Modificado: 2008-04-18

Tags

Recursos Relacionados

Contato

© 2007 - Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada. Todos os direitos reservados