Efisica

Eletrólitos

 


Até agora, quando nos referimos aos condutores, pensamos sempre nos metais. Mas, existe uma outra categoria importante de condutores, chamados eletrólitos, que passaremos a estudar.

O leitor poderá realizar muito simplesmente a seguinte experiência, que vamos descrever em três fases.

1a Fase – Mergulhe duas placas metálicas A e B em água destilada, isto é, no máximo de pureza (fig. 195). Uma dessas placas ligue, por um fio b, a um dos terminais de uma lâmpada. Ao outro terminal da lâmpada ligue um fio c, e à outra placa metálica um fio a. Os dois fios a e c ligue a uma dessas “tomadas” existentes em sua residência, que dão diferença de potencial de 110 ou 115 volts (uma dessas “tomadas” onde se liga rádio, ferro de passar roupa, etc.).

Em resumo, a lâmpada e o condutor constituído pela água compreendida entre as placas A e B estão ligados em série, entre dois pontos cuja diferença de potencial é 110 volts, conforme está esquematizado na figura 195- 195-aa. Sabemos que a lâmpada sozinha, ligada aos 110 volts, acende, pois é isso o que fazemos diariamente em nossas residências. Mas, o leitor observará que, em série com a água destilada, a lâmpada não acende, o que significa que não passa corrente: a água pura tem resistência tão grande que se comporta como isolante.


Figura 195

água destilada funciona como isolante, não acende a lâmpadai

Figura 195-a

 

1ª Conclusão - a água pura não é condutora

2a Fase – Substitua a água por um sal seco, por exemplo, mergulhe as duas placas A e B em um recipiente contendo cloreto de sódio (sal de cozinha) seco. Novamente a lâmpada não acenderá, isto é, não passará corrente pelo circuito, o que indica que o cloreto de sódio também é isolante. Se em vez de cloreto de sódio o leitor usar qualquer outro sal, ou qualquer base, ou qualquer ácido, isento de água, o resultado será o mesmo.

 

2ª Conclusão - os ácidos, base e os sais, quando isentos de água, não são condutores

 

3a Fase – Voltemos à experiência primitiva, feita com água. Tínhamos constatado que a água pura não é condutora. Vá jogando à água, aos poucos, um ácido, uma base ou um sal, por exemplo, cloreto de sódio. Verá que, atingida certa concentração, a lâmpada começa a acender, e à medida que for dissolvendo mais cloreto de sódio, mais brilhante ela fica, até chegar a uma concentração em que a lâmpada fornece quase que a mesma luz que fornece normalmente, isto é, sem a solução. Portanto, passa corrente elétrica pela solução. Se dissolver em água qualquer outro sal, qualquer ácido ou qualquer base, o resultado sera o mesmo.

 

3ª Conclusão - uma solução de ácido, base ou sal em água é condutora de eletricidade

 

Chama-se ELETRÓLITO a uma solução de ácido, base ou sal em água. Os eletrólitos são condutores muitíssimo importantes, conforme veremos.

As soluções que não são condutoras são chamadas NÃO-ELETRÓLITOS. Por exemplo, a solução de açúcar ou álcool em água.

 

 

© 2007 - Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada. Todos os direitos reservados