Efisica

Teorias do magnetismo

 

 

Um corpo que normalmente é neutro pode ser imantado. Isso acontece, por exemplo, com o ferro. Para explicar o magnetismo, antigamente admitiam que na constituição de todos os corpos entrasse um número muito grande de pequenos ímãs. Admitiam que no corpo neutro, esses ímãs tivessem orientações quaisquer, e seus polos, assim, neutralizassem seus efeitos. E que, quando o corpo fôsse colocado em um campo magnético, todos esses ímãs se orientassem, de maneira que não haveria mais neutralização de todos os polos, e o corpo se apresentaria imantado.

Hoje sabemos que não existem esses ímãs interiores, mas que existem elementos equivalentes: as partículas constituintes do átomo, dotadas de carga elétrica e em movimento no interior do átomo, comportam-se como pequenos ímãs. Por exemplo, um elétron que gira numa órbita constitui uma corrente elétrica, e portanto produz um campo magnético. Num corpo neutro essas partículas geram campos que se neutralizam. Num ímã, seus campos não se neutralizam, e dão um campo total não nulo.


Resumo

 

1 – 1a lei elementar de Laplace:

.

2 – O sentido do campo magnético produzido por corrente é dado pelas três regras: do saca-rolhas, de Maxwell do boneco, de Ampère da mão direita.

3 – Campo magnético no centro de condutor circular:

4 – Campo magnético criado por condutor retilíneo (lei de Biot e Savart):

.

5 – Unidades a serem usadas nessas fórmulas:

GGSEM: oersted abampère centímetro

MKS: praoersted ampère metro *


Resumo das unidades estudadas nesse capítulo

Grandeza
Símbolo
Unidade CGSES
Unidade MKS
Relação
Intensidade de corrente
I ou i
ab A
A
Carga elétrica
Q ou q
abc
c
Diferença de potencial
V ou v
abv
v
Resistência
R ou r
Condutância
C ou c
abmho
mho
Intensidade de campo magnético
Oersted
Praoersted
Permeabilidade magnética
Susceptibilidade magnética
Massa magnética
m
uem CGS
weber
Fluxo magnético
maxwell
weber
Momento magnético
Densidade magnética
gauss
Intensidade de imantação
gauss
Indução magnética
Gauss

Nota: A relação dada indica o número de unidades eletromagnéticas necessárias para perfazerem uma unidade MKS.

 

 

© 2007 - Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada. Todos os direitos reservados