Efisica

Nota Histórica

 


No século passado, o período compreendido entre os anos de 1819 e 1831 foi dos mais férteis em descobertas no campo da eletricidade. Os fenômenos básicos do eletromagnetismo foram descobertos entre aquelas datas. A observação que Oersted fez, em 1819, de que uma corrente elétrica desvia a agulha de uma bússola, marca o início de uma época da Física que iria influir profundamente na história da humanidade. A ação mútua de um ímã e uma corrente elétrica aguçou a curiosidade de muitos investigadores que até então não se dedicavam ao estudo da eletricidade, principalmente um grupo de franceses. A primeira grande aplicação da descoberta de Oersted foi feita três anos mais tarde, por Dominique François Arago e Joseph Luis Gay-Lussac. Este, muito conhecido por seus trabalhos em Química. Eles observaram que quando passava corrente em um condutor enrolado numa barra de ferro, esta se imantava: estava, pois, inventado o eletroímã. No mesmo ano, Andrè Marie Ampère estabeleceu a “regra do observador”, e descobriu que um solenóide atua como um ímã. Posteriormente, Jean Baptiste Biot e Felix Savart descobriram, ao mesmo tempo, e independentemente um do outro, a lei que leva seus nomes.

Este é um dos muitos exemplos conhecidos nas ciências, de uma descoberta feita ao mesmo tempo por dois ou mais investigadores que trabalham independentemente um do outro. Isso porque uma descoberta só pode ser realizada quando o assunto já atingiu o necessário grau de maturidade. Não seria normal, por exemplo, Biot, ou Savart, descobrir a lei 50 anos antes daquela época, porque então eles não conheceriam os trabalhos de seus predecessores, que lhes serviram de base.

 

 

© 2007 - Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada. Todos os direitos reservados